Últimos artigos arquivados
TOFFOLI VAI LAVAR AS MÃOS E DEIXAR DILMA SE ARREBENTAR NA JUSTIÇA ELEITORAL PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Opinião

Por Carlos Newton, em 08 Nov 2015

Diz o velho ditado que as aparências enganam. Na política, com facilidade pode-se confirmar que muitas coisas parecem ser, mas não são. Por isso, é preciso passar sempre um filtro nas informações, se não dá tudo errado. Veja-se o caso do ministro Dias Toffoli, que atualmente preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Sabe-se que ele jamais teve notório saber jurídico nem reputação ilibada. Pelo contrário, responde a dois processos no Amapá, já condenado em primeira instância, e foi reprovado duas vezes em concurso para juiz.

 
O ópio do povo PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Opinião

Por Carlos Alberto Da Cás*

O escritor, filósofo, crítico literário italiano Umberto Eco, traduzido em mais de quarenta idiomas, autor do clássico "O Nome da Rosa", lançou outro bom romance -"Número Zero", que já é um sucesso, e deu uma interessante entrevista à Veja. Aludiu, sobre a dimensão decorrente de um seu recente comentário, onde disse que a internet dá voz a uma multidão de imbecis. Esclareceu que não estava falando quanto ao caráter das pessoas; tratava-se das redes sociais: tem muita gente que passa a opinar a respeito de temas que não entende e isso navega como uma nuvem em tempo adverso. Enfim, sugere que é preciso filtrar, refletir e distinguir os dados. Hoje a escola deveria ter como matéria a análise sobre fontes e conteúdo na rede, essencial para os instigantes desafios desses novos tempos. Até os jornais e televisão são vítimas dessa praga resistente da má informação.

 
A crise tem nome: Lula PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Opinião

Por Marco Antonio Villa*

Seu protagonismo impede uma solução para a crise. Ele aposta no impasse como único meio de sobrevivência política

Lula voltou a ser o principal protagonista da cena política brasileira. No último mês, não teve um dia sequer em que não ocupasse as manchetes da imprensa. Viajou pelo Brasil — sempre de jatinho particular, pago não se sabe por quem — e falou, falou e falou. Impôs uma reforma ministerial à presidente, que obedeceu passivamente, como de hábito, ao seu criador. Colocou no centro do poder um homem seu, Jaques Wagner, para controlar a presidente, reestruturar o pacto lulista — essencialmente antirrepublicano — com o Congresso e o grande capital e, principalmente, para ser um escudo contra as graves acusações que pesam sobre ele, sua família e amigos.

 
Alertar é preciso! PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Opinião

É preciso cooptar ou denegrir as Forças Armadas para instalar um regime espúrio

Por Rômulo Bini Pereira*, em 08 nov 2015

"A farda não abafa o cidadão no peito do soldado!", General Osório

Vem sendo veiculada com frequência pela mídia a afirmação de que "as instituições de nosso país estão consolidadas e funcionando corretamente". E está sempre presente em debates de TV, artigos e reportagens porque é dita ou escrita num contexto de temas sobre o grave e vergonhoso momento por que passa o País. Trata-se de verdadeiro paradoxo, pois, se consolidadas e funcionando corretamente, a Nação não estaria convivendo com o que tem sido considerado o pior período da História nacional, em que se nota visível e crescente decadência moral e ética no campo interno e preocupante descrença externa quanto ao futuro do Brasil.

 
Os diplomatas, o ministro e o general PDF Imprimir E-mail
Opinião

Os diplomatas, o ministro e o general

General do Exército crítica Ministro da Defesa de fazer proselitismo político em prol do Partido Comunista do Brasil

Desde a criação do Ministério da Defesa (MD), tenho dito que a chefia desta pasta deveria ser confiada a um Diplomata. Continuo a pensar assim, apesar das duas experiências desastrosas que tivemos com José Viegas e Celso Amorim.

 
Conselho e realidade PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Opinião

Por Carlos Alberto Da Cás*

Diante das terríveis tragédias patrocinadas pela intolerância, a humanidade se manifesta. E inevitavelmente há a influência das tintas de cada pintor e suas raízes nessa aquarela multicolorida. Nesse cadinho circula tudo: interpretações pragmáticas, ideológicas, pessoais, religiosas, etc. Assim, o Papa Francisco, já criticado por tradicionais pela "ousada" modernidade, deu o seu conselho: criticou o fundamentalismo mas aconselhou o ocidente a não acender similares estopins e a perdoar. Fez o seu papel como líder religioso. Foi mais um bom conselho, mas o mundo rebelde infelizmente nem sempre houve a voz da razão ou da espiritualidade. Enfim, até nesses novos tempos ainda se mata em nome de Deus. Marx imaginou um mundo fraterno onde todos tinham tudo em comum. Porém a realidade transformou aquela utopia em cruéis tiranias. Mesmo diante dessa realidade histórica ainda há flertes com o socialismo, levando a inevitáveis fracassos sob estados intolerantes como a atual decadente Venezuela. Matizes desse tom incrustadas em outros países na América Latina legaram outras heranças malditas. A Argentina tenta acordar diante do sonífero peronismo e o Brasil do engodo da Década Perdida.

 
Haverá luz no fim do túnel? PDF Imprimir E-mail
Opinião

Por Marco Antonio Esteves Balbi

"Eles que venham! Por aqui não passam"

Emílio Luiz Mallet - Barão de Itapevi

Ao digitar a frase acima em qualquer mecanismo de busca a primeira resposta conduz a um link sobre o Marechal Emílio Luiz Mallet. Francês de nascimento, brasileiro por opção, vale a pena, para quem não esteja familiarizado em tempos de celebridades instantâneas, debruçar-se sobre a sua vida. A frase ele a proferiu para os seus subordinados, na expectativa da carga da cavalaria inimiga na batalha de Tuiuti, na Guerra da Tríplice Aliança. Emulou os homens sob o seu comando, após fazê-los cavar um fosso à frente da posição da bateria de canhões, onde as primeiras levas inimigas feneceriam.

 
BRASIL CARENTE DE LIDERANÇAS PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Opinião

Por CARLOS AUGUSTO FERNANDES DOS SANTOS*

Miriam Leitão , no artigo RECUAR JAMAIS, publicado no Jornal O GLOBO , de 25 de outubro 2015, manifesta sua conhecida repulsa ao estamento militar. Nele, critica o General ANTÔNIO HAMILTON MARTINS MOURÃO, atual Comandante Militar do Sul, por ter proferido palestra/aula para os jovens do CPOR/Porto Alegre/RS e feito comentários sob os descaminhos éticos e políticos da corrupção brasileira. Afirma, professoralmente e sem rodeios: "O Brasil avançou muito nos últimos trinta anos.................... Primeiro, escolhemos a democracia e a volta dos militares aos quartéis. Definitivamente".

 
Relatório do Coaf mostra movimentações milionárias nas contas de Lula, Palocci, Pimentel e Erenice PDF Imprimir E-mail
Opinião

Relatório do Coaf mostra movimentações milionárias nas contas de Lula, Palocci, Pimentel e Erenice

Um relatório da agência do governo de combate à lavagem de dinheiro revela que os quatro, entre outros petistas, movimentaram quase meio bilhão de reais em transações com indício de irregularidades

Por THIAGO BRONZATTO, em 31 Out 2015

Trecho da reportagem de capa de ÉPOCA desta semana

Há duas semanas, analistas do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, mais conhecido pela sigla Coaf, terminaram o trabalho mais difícil que já fizeram. O Coaf, subordinado oficialmente ao Ministério da Fazenda, é a agência do governo responsável por combater a lavagem de dinheiro no Brasil. Reúne, analisa e compartilha com o Ministério Público e a Polícia Federal informações sobre operações financeiras com suspeita de irregularidades. Naquela sexta-feira, dia 23 de outubro, os analistas do Coaf entregavam à chefia o Relatório de Inteligência Financeira 18.340. Em 32 páginas, eles apresentaram o que lhes foi pedido: todas as transações bancárias, com indícios de irregularidades, envolvendo, entre outros, os quatro principais chefes petistas sob investigação da PF, do Ministério Público e do Congresso.

 
Punição a general que fez proselitismo político foi correta e segue normas das Forças Armadas PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 
Opinião

Punição a general que fez proselitismo político foi correta e segue normas das Forças Armadas

O militar em questão não gosta de Dilma? Eu também não. Mas eu posso criticá-la o quanto quiser; ele não. Eu luto com palavras; ele, com armas

Por Reinaldo Azevedo, em 30 Out 2015

Há assuntos que me dão um tantinho de preguiça porque são de outra era. Mas, se querem que fale a respeito, então falo. Recebi algumas mensagens indignadas, cobrando a minha solidariedade, porque o Comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, destituiu do Comando Militar do Sul o general Antonio Hamilton Martins Mourão.

 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 6 de 38
Free premium joomla themes designed by Lonex.