Últimos artigos arquivados
O colapso irrecuperável do petismo PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 4
PiorMelhor 
Opinião

Por Reinaldo Azevedo, em 31 Jul 2015

O "petrolão" já tem uma derivação: o "eletrolão". Com mais algumas enxadadas, novas minhocas podem brotar. Quem sabe o "estradão", "meu casão meu vidão", "saudão", "escolão", "pacão"... E quantos outros aumentativos vocês queiram rimar aí para indicar um estado que foi literalmente assaltado pelo crime e que não tem solução.

 
A OPOSIÇÃO SOMOS NÓS! PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Opinião

Por Aileda de Mattos Oliveira, em 28 Jul 2015

O País desceu muitos degraus na escala moral e da compostura pela baixa qualidade da política exercida pelos seus dirigentes e aliados, portanto, tem que reagir com energia e repulsa, para impedir que o indecoroso conceito de impunidade que regula a filosofia da pior estirpe de velhacos de nossa história, venha a ditar as normas pedagógicas da "nova escola".

 
DR.SÉRGIO MORO - AJUDANDO A CRIAR UM NOVO PAÍS PDF Imprimir E-mail
Opinião

Por Carlos Newton, em 22 Jul 2015

Apesar da imensa decepção com o PT, um partido que tinha apoio maciço de intelectuais, servidores e estudantes, e com o consequente desalento com a política em geral, é preciso proclamar que hoje o Brasil tem motivos para vislumbrar um futuro melhor. Em meio à podridão que contamina os três poderes, podemos dizer que ainda temos juízes, como está ficando demonstrado no prosseguimento da operação Lava Jato.

 
ECCLESIA PAUPERUM PDF Imprimir E-mail
Opinião

Por Maria Lucia Victor Barbosa, em 19 Jul 2015

Enquanto no País escândalos, prisões, delações, embates de Poderes sacodem a vida nacional e concentram atenções e notícias, a vida no planeta continua girando e produzir alterações no modo de viver e pensar da humanidade. De algum modo essas mudanças nos atingem e, por isso, é bom prestar atenção nelas.

 
16 de Agosto, um marco na caminhada para um novo fim! PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Opinião

Por Gen Bda Paulo Chagas

Caros amigos

A Sra Dilma Rousseff, de tão desnorteada que está, confunde a continência, o amor à pátria e o respeito dos soldados pelos símbolos nacionais com ameaça de "intervenção militar". No exercício da função de governanta do Brasil, faz lembrar uma amazona segurando inutilmente as rédeas de um cavalo em disparada. Teoricamente está no controle, quando, na realidade, está à comando do cavalo. Cairá por cansaço na primeira curva da estrada ou no primeiro obstáculo do terreno!

 
Abaixo o povo brasileiro PDF Imprimir E-mail
Opinião

POR OLAVO DE CARVALHO, em 17 JUL 2015

O cúmulo da demência aparece quando o grito de "respeitar as instituições" vem das mesmas bocas que acabam de dizer: "As instituições estão todas aparelhadas". É um lindo raciocínio: As instituições não são confiáveis, portanto confiemos nelas.

 
A voz rouca das ruas PDF Imprimir E-mail
Opinião

Por MERVAL PEREIRA em O Globo

Em linguagem parlamentar chula, o tempo é de vaca não reconhecer bezerra, tal a confusão em Brasília. Como não há liderança política que se imponha para tentar controlar a crise, nem partidos de peso que possam se posicionar acima das dissidências, pois estão envolvidos em tenebrosas transações ou interesses próprios, ou não têm expressão para a mediação política necessária, o que definirá o rumo dos acontecimentos serão as manifestações populares.

 
UMA QUESTÃO DE HÁBITO PDF Imprimir E-mail
Opinião

Eliéser Girão Monteiro Filho, vem 13 Jul 2015

Ao analisarmos as raízes da formação da nacionalidade brasileira podemos afirmar que esta Colônia portuguesa tinha todas as condições para dar errado como um país de dimensões continentais. E por quê?

 
A TORPEZA DA PRESIDENTE PDF Imprimir E-mail
Opinião

A TORPEZA DA PRESIDENTE

Por Aileda de Mattos Oliveira, 15 Jul 2015

Essa qualidade negativa está visível nos atos, nas mentiras, na sua presença desagradável. Nada do que faz deveria nos causar espanto. Quem já lutou contra o próprio país, servil às ordens estrangeiras, e destruiu pessoas que nem sabiam do seu papel caricato de Rosa Luxemburgo(1), não seria agora, madura, mas não amadurecida, que iria santificar os seus atos e seu pensar. Ao contrário, tanto 'pensadora' quanto pensamentos estão, definitivamente, apodrecidos.

 
O passado como esconderijo PDF Imprimir E-mail
Opinião

Por Fernando Gabeira

Passei a semana navegando pela costa do Maranhão, caprichosamente desenhada pelo mar. São as Reentrâncias Maranhenses, e as percorri já dentro dos limites da Amazônia Oriental. Meu objetivo era o arquipélago de Maiau. Ao chegar mais próximo dele, o nome das cidades já tem um traço indígena: Cururupu, Apicum Açu. Deixei para trás uma grande crise política. Na Ilha dos Lençóis, consegui ver com os nativos alguns noticiários de tevê. Impressionou-me o impacto da Bolsa Família nessas ilhas maranhenses: a maioria dos habitantes ganha salário do governo.

 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 8 de 38
Free premium joomla themes designed by Lonex.